Conteúdos Inteligentes: como imprimir o DNA da sua instituição

Uma marca forte, que inspire confiança e credibilidade e, principalmente, qualidade é o que define hoje a sua presença de mercado. E, no mercado educacional, não poderia ser diferente.

Como educadores, podemos dizer que em todo o processo de ensino e no ato de compartilhar conhecimento, estamos repassando nosso “DNA cultural”, como se fôssemos os “pais culturais” de nossos alunos. Para isso, é preciso pensar em nossos estudantes e que eles percebam que tudo em nossa Instituição foi desenvolvido por eles e para eles, para que se sintam integrados e possam ter um processo de aprendizado de qualidade. Uma das formas de fazer isso é pensando em materiais didáticos que utilizem metodologias ativas de aprendizagem e recursos, para que, de fato,  envolvam os alunos.

Recursos educacionais precisam ser únicos, assim como é a sua Instituição

Quando falamos em DNA, pensamos imediatamente em algo único, personalizado, que apresente metodologias e informações únicas.

Da mesma forma, sua Instituição precisa que os materiais sejam pensados e personalizados de acordo com o projeto pedagógico, e este, por sua vez, idealizado  para que possa oferecer um ensino de qualidade.

Mas como fazer isso?

É preciso pensar no aluno, em como ele utilizará os conteúdos produzidos em seu processo de aprendizagem. Os meios, as formas de apresentar os conteúdos, contextualizados entre teoria e prática, farão a diferença e impactarão no real aprendizado dos seus alunos.

Por isso, antes de começar a produzir o material didático, é preciso ter alguns cuidados com o planejamento, como a definição do objetivo do curso e de cada disciplina, a definição do  projeto instrucional e, com ele, a definição da estrutura a ser utilizada, bem como a definição das mídias que irão complementar este   material e das iconografias e seus padrões.

Além disso, é preciso que ele seja altamente adaptativo, isto é, que utilize tecnologias responsivas, multidispositivos e de acessibilidade. Outra forma de se pensar no aluno é disponibilizando diferentes opções de mídias, para que ele possa identificar o meio com que  se sente melhor para interagir com o conteúdo.

Se considerarmos ainda que o conteúdo deve fazer o aluno refletir, e também trazer exemplos práticos para que ele consiga visualizar o aprendizado aplicado no seu dia a dia, as chances de assegurar um processo educativo mais efetivo são ainda maiores. Egressos bem posicionados no mundo do trabalho, com certeza, garantirão a credibilidade e a confiança na sua marca, tanto por parte dos alunos como das empresas contratantes.

Imprimindo seu DNA com liberdade

Devemos pensar também que para que a Instituição possa imprimir seu DNA e sua marca, por meio de seus materiais didáticos, estes precisam ser tratados como um ativo. Por isso, é importante que possam ser utilizados e disponibilizados por tempo indeterminado, o que garante , inclusive, uma maior liberdade de personalização.

 

Pense comigo: como uma Instituição    irá “imprimir sua marca” ou “deixar o seu DNA” se não tem liberdade para customizar seu próprio material?

 

Imagine-se, agora, em um mundo onde todos fôssemos iguais! Não seria algo muito interessante, não é mesmo? Ao balizar o conhecimento pelo “mínimo necessário”, perderíamos todo o potencial competitivo em relação à economia global.

Por isso, é preciso pensar que a individualidade da sua Instituição precisa ser respeitada e, inclusive, deve ser valorizada, pois é ela quem define o seu DNA. A melhor forma de se fazer isso é por meio de um material didático aderente à metodologia da Instituição e que atenda aos objetivos definidos no projeto pedagógico do curso. É o material que deve se adequar à IES,  não o contrário.

Ou seja, a qualidade do processo educacional diz muito sobre a forma como a Instituição pensa em seus alunos. E, a fim de que  possamos atingir um processo educacional efetivo, é necessário planejar com coerência pedagógica para que metodologias ativas conversem com os conteúdos e materiais didáticos personalizados.

 

O planejamento do material didático, assim como a escolha das mídias de acordo com perfil do aluno e do curso, são as bases para a construção de um processo educacional que imprima o seu DNA.

 

Uma marca forte se constrói pensando no diferencial de mercado que temos a oferecer. Esse diferencial precisa ser reforçado a todo momento e não apenas na venda do curso, mas principalmente no decorrer dele, resultando na efetiva aprendizagem.

Por isso, todas as suas interações com o seu aluno são uma excelente oportunidade para literalmente “fixar sua marca”.

Somente dessa forma se pode construir uma imagem consolidada, condizente com os nossos valores, nossa essência e contribuição social.