Como a gestão de talentos pode aumentar a qualidade dos materiais EaD da sua IES

Compartilhe este artigo:

Produzir materiais de excelência para EaD não depende apenas da relevância do conteúdo ou da adoção de novas tecnologias, mas também da gestão de talentos. Cada vez mais observamos que a escolha dos profissionais envolvidos na produção é determinante para a qualidade final.

Com isso, tem-se uma questão desafiadora para a maior parte das coordenadorias de produção para EaD no Brasil: como garantir o envolvimento dos melhores profissionais a cada novo projeto?

A resposta é: gestão de talentos.

Mas como gerenciar um grande volume de talentos sem perder a qualidade e a exclusividade dos materiais EaD? Para isso, a coordenadoria pode e deve buscar ferramentas e mecanismos disponíveis na internet, além de criar seus próprios sistemas para selecionar, reter e avaliar os profissionais.

A seguir, descrevemos os principais mecanismos e destacamos suas vantagens e desvantagens.

Banco de Dados: um recurso valioso

Ele permite reunir todas as informações sobre um projeto ou conjunto de projetos em um mesmo lugar.

Na gestão de talentos, o banco de dados pode ser usado para registrar:

  • dados pessoais e profissionais;
  • cronograma de produção;
  • projetos atuais e anteriores;
  • critérios de avaliação.

É possível criar bancos de dados simplificados usando softwares bastante difundidos, como o Excel ou as planilhas do Google. Porém, eles não permitem a inclusão de um volume muito grande de informações (currículos, por exemplo) e seu mecanismo de busca é bastante rudimentar, limitando-se palavras-chave e resultados em lista/destaque.

Redes sociais na seleção de talentos

As redes sociais vão muito além de likes e conexões entre amigos. Elas podem facilitar, e muito, o processo de busca e seleção de talentos para novos projetos de EaD.

Nesse contexto, dê preferência ao Facebook e LinkedIn, que permitem:

  • divulgação de anúncios;
  • impulsionamento;
  • direcionamento de campanhas de acordo com critérios pré-definidos (faculdade de origem, por exemplo).

Outro aspecto positivo das redes é o compartilhamento, que amplia o alcance do processo de seleção. Entre as desvantagens das redes estão as mudanças constantes nos seus algoritmos, que dificulta a visualização de anúncios por parte de seus usuários.

Plataforma Lattes contribui para qualificar a seleção

Os interessados na área acadêmica, científica e na produção de material didático, geralmente possuem o hábito de manter currículos atualizados na plataforma Lattes. Solicitar essa informação é imprescindível para qualificar a seleção de profissionais conteudistas.

Na plataforma, estão disponíveis dados relacionados a:

  • formação,
  • premiações,
  • destaques,
  • trabalhos anteriores (referências profissionais),
  • publicações, entre outros.

O Lattes é um bom recurso a ser usado nas fases mais adiantadas do processo de seleção, uma vez que as pesquisas na plataforma tendem a ser demoradas. Apenas um currículo pode ser visualizado por vez e não é possível fazer cruzamento de informações (ex.: formação vs. número de publicações).

Rankeamento e avaliações

Crie mecanismos que permitam avaliar os profissionais ao final de cada projeto e tenha um histórico do processo de produção. Use critérios objetivos, como:

  • pontualidade,
  • número de refações/ajustes,
  • qualidade do material produzido,
  • comunicação (se responde demandas ao longo do projeto, tempo de resposta, etc.),
  • valor/hora, entre outros.

Use as informações para criar rankings, destacando os melhores profissionais em cada projeto, facilitando a seleção para novos projetos.

A principal dificuldade é manter o critério o mais objetivo possível. Além disso, outra desvantagem é que desconsidera o aspecto interpessoal: às vezes, um mesmo profissional tem resultados diferentes em equipes e projetos diferentes.

Reúna todas as vantagens em uma única plataforma

Por fim, é possível investir em plataformas inteligentes, já disponíveis no mercado. No Brasil, o destaque é a Deduca, desenvolvida a partir da expertise de uma das maiores produtoras de conteúdos para EaD no país, a Delinea.

Totalmente pensada para as necessidades do mercado brasileiro de educação a distância, a Deduca integra funcionalidades importantes para a gestão de produção de materiais, incluindo aquelas específicas para a gestão de talentos, como:

  • banco de talentos, com sistema de gestão integrado;
  • controle de histórico e avaliações;
  • publicação de oportunidades automatizada para LinkedIn e Facebook;
  • categorização de profissionais, incluindo análises via Lattes;
  • rankings visuais, com gráficos e tags inteligentes;
  • acesso diferenciado para IES e para profissional;
  • montagem de novos projetos com sugestão de profissionais;
  • sistema de pesquisa e busca inteligente, que permite cruzamento de informações e análises completas em poucos segundos.

Para finalizar, lembre-se: o capital humano é o principal ativo quando se fala em gestão de talentos. Por isso, invista na automatização de processos para ter mais tempo de relacionamento com sua equipe. E lembre-se: conte com a Deduca para ajudá-lo a vencer este desafio.

 


Compartilhe este artigo:

Sobre o Autor

paulo.henrique