Como a gestão de talentos pode aumentar a qualidade dos materiais EaD da sua IES

Produzir materiais de excelência para EaD não depende apenas da relevância do conteúdo ou da adoção de novas tecnologias, mas também da gestão de talentos. Cada vez mais observamos que a escolha dos profissionais envolvidos na produção é determinante para a qualidade final.

Com isso, tem-se uma questão desafiadora para a maior parte das coordenadorias de produção para EaD no Brasil: como garantir o envolvimento dos melhores profissionais a cada novo projeto?

A resposta é: gestão de talentos.

Mas como gerenciar um grande volume de talentos sem perder a qualidade e a exclusividade dos materiais EaD? Para isso, a coordenadoria pode e deve buscar ferramentas e mecanismos disponíveis na internet, além de criar seus próprios sistemas para selecionar, reter e avaliar os profissionais.

A seguir, descrevemos os principais mecanismos e destacamos suas vantagens e desvantagens.

Banco de Dados: um recurso valioso

Ele permite reunir todas as informações sobre um projeto ou conjunto de projetos em um mesmo lugar.

Na gestão de talentos, o banco de dados pode ser usado para registrar:

  • dados pessoais e profissionais;
  • cronograma de produção;
  • projetos atuais e anteriores;
  • critérios de avaliação.

 

É possível criar bancos de dados simplificados usando softwares bastante difundidos, como o Excel ou as planilhas do Google. Porém, eles não permitem a inclusão de um volume muito grande de informações (currículos, por exemplo) e seu mecanismo de busca é bastante rudimentar, limitando-se palavras-chave e resultados em lista/destaque.

Redes sociais na seleção de talentos

As redes sociais vão muito além de likes e conexões entre amigos. Elas podem facilitar, e muito, o processo de busca e seleção de talentos para novos projetos de EaD.

Nesse contexto, dê preferência ao Facebook e LinkedIn, que permitem:

  • divulgação de anúncios;
  • impulsionamento;
  • direcionamento de campanhas de acordo com critérios pré-definidos (faculdade de origem, por exemplo).

 

Outro aspecto positivo das redes é o compartilhamento, que amplia o alcance do processo de seleção. Entre as desvantagens das redes estão as mudanças constantes nos seus algoritmos, que dificulta a visualização de anúncios por parte de seus usuários.

Plataforma Lattes contribui para qualificar a seleção

Os interessados na área acadêmica, científica e na produção de material didático, geralmente possuem o hábito de manter currículos atualizados na plataforma Lattes. Solicitar essa informação é imprescindível para qualificar a seleção de profissionais conteudistas.

Na plataforma, estão disponíveis dados relacionados a:

  • formação,
  • premiações,
  • destaques,
  • trabalhos anteriores (referências profissionais),
  • publicações, entre outros.

 

O Lattes é um bom recurso a ser usado nas fases mais adiantadas do processo de seleção, uma vez que as pesquisas na plataforma tendem a ser demoradas. Apenas um currículo pode ser visualizado por vez e não é possível fazer cruzamento de informações (ex.: formação vs. número de publicações).

Rankeamento e avaliações

Crie mecanismos que permitam avaliar os profissionais ao final de cada projeto e tenha um histórico do processo de produção. Use critérios objetivos, como:

  • pontualidade,
  • número de refações/ajustes,
  • qualidade do material produzido,
  • comunicação (se responde demandas ao longo do projeto, tempo de resposta, etc.),
  • valor/hora, entre outros.

 

Use as informações para criar rankings, destacando os melhores profissionais em cada projeto, facilitando a seleção para novos projetos.

A principal dificuldade é manter o critério o mais objetivo possível. Além disso, outra desvantagem é que desconsidera o aspecto interpessoal: às vezes, um mesmo profissional tem resultados diferentes em equipes e projetos diferentes.

Reúna todas as vantagens em uma única plataforma

Por fim, é possível investir em plataformas inteligentes, já disponíveis no mercado. No Brasil, o destaque é a Deduca, desenvolvida a partir da expertise de uma das maiores produtoras de conteúdos para EaD no país, a Delinea.

Totalmente pensada para as necessidades do mercado brasileiro de educação a distância, a Deduca integra funcionalidades importantes para a gestão de produção de materiais, incluindo aquelas específicas para a gestão de talentos, como:

  • banco de talentos, com sistema de gestão integrado;
  • controle de histórico e avaliações;
  • publicação de oportunidades automatizada para LinkedIn e Facebook;
  • categorização de profissionais, incluindo análises via Lattes;
  • rankings visuais, com gráficos e tags inteligentes;
  • acesso diferenciado para IES e para profissional;
  • montagem de novos projetos com sugestão de profissionais;
  • sistema de pesquisa e busca inteligente, que permite cruzamento de informações e análises completas em poucos segundos.

 

Para finalizar, lembre-se: o capital humano é o principal ativo quando se fala em gestão de talentos. Por isso, invista na automatização de processos para ter mais tempo de relacionamento com sua equipe. E lembre-se: conte com a Deduca para ajudá-lo a vencer este desafio.