Aposte na categorização e otimize a utilização de seus materiais e conteúdos para EaD

Compartilhe este artigo:

 

Nos últimos anos, a produção de materiais e conteúdos EaD evoluiu muito, em grande parte ajudada pela tecnologia e as metodologias inovadoras que começaram a ser aplicadas mais amplamente. No entanto, alguns desafios ainda são comuns e nos desafiam a repensar o processo produtivo dos materiais constantemente. Um bom exemplo são os prazos de produção, que continuam sendo o desafio da maioria das IES que pretendem lançar novos cursos com maior agilidade. Nesse sentido, o desafio é: como produzir no tempo necessário e garantir a qualidade dos objetos de aprendizagem? Uma das respostas é a categorização ou indexacão destes recursos educacionais.

Em artigos anteriores, já abordamos alguns fatores que contribuem para um bom resultado final, como o correto gerenciamento da produção e a gestão de talentos. Agora, iremos aprofundar mais sobre a categorização de conteúdos, outro importante elemento.

Mas o que é isso?

A categorização é o ordenamento e o agrupamento de algo segundo categorias ou classes. É um sistema muito usado em lojas on-line, por exemplo, que precisam classificar e organizar um grande volume de informações sobre produtos. Neste segmento, uma boa categorização permite a localização de produtos, além de facilitar o processo de compra e contribuir para melhorar o índice de satisfação dos clientes.

Um exemplo diferente de categorização é a classificação de livros em bibliotecas. Note, porém, que neste caso específico, o trabalho torna-se muito mais complexo. Afinal, quando se lida com o conhecimento, amplia-se consideravelmente o número de variáveis a serem categorizadas. É o que acontece no caso da EaD, daí a dificuldade em aplicar a categorização corretamente.

Outro grande desafio é a mobilização dos profissionais envolvidos no trabalho de categorização. Isto porque cada um traz consigo suas crenças, seu próprio conhecimento e suas opiniões acerca do que é mais ou menos adequado. Por exemplo, um profissional da área de Humanas tende a defender uma abordagem completamente diferente de um profissional da área de Exatas.

Além disso, não se pode perder de vista o usuário final do material categorizado. Afinal, é para tornar mais prático, ágil e eficiente o trabalho dele/dela que a categorização é aplicada.

Neste sentido, os estudos recentes acerca da inteligência relacional têm contribuído para aperfeiçoar os processos de categorização e indexação. Isto porque um dos principais focos da inteligência relacional é mapear e compreender como as variáveis, objetivas e subjetivas, podem afetar algo, seja um projeto, uma empresa ou mesmo relações interpessoais. Alguns dos sistemas de indexação e categorização mais recentes já começam a contemplar esse conhecimento em suas bases por meio de algoritmos de inteligência artificial, o que tende a otimizar o trabalho de categorização de conteúdos e conhecimentos, como é o caso da EaD.

Agora, se você ainda não conta com um sistema assim, como aplicar e levar os benefícios da categorização para sua IES? Saiba mais a seguir.

Conheça as vantagens da categorização aplicada à produção de materiais para EaD

São muitos os benefícios de aplicar os princípios da categorização na produção para EaD, entre eles:

  • otimização do processo de produção;
  • organização e hierarquização de conteúdos, mídias, objetos e profissionais;
  • possibilidade de integração com sistema de busca;
  • criação de repositório de materiais.

 

Além disso, a categorização afeta positivamente a gestão de conteúdos. Ela permite às IES, por exemplo:

  • pesquisar e localizar rapidamente conteúdos e/ou objetos de aprendizagem aderentes e já produzidos;
  • reaproveitar parcial ou integralmente conteúdos e/ou objetos conforme novas necessidades (cursos, disciplinas etc.);
  • evitar retrabalho;
  • reduzir custos de produção.

 

Saiba como categorizar:

A categorização dos materiais produzidos traz muitos benefícios, além de otimizar todo o processo de produção. Ganha-se tempo na localização de materiais, além de contribuir para a criação de repositórios dos materiais produzidos e/ou adquiridos de terceiros.

O processo pode ser feito a partir de palavras-chave e por área do conhecimento, por exemplo. O controle pode ser realizado com a ajuda de planilhas eletrônicas ou banco de dados automatizados. Pode permitir buscas futuras ou não. Tudo depende do objetivos definidos pela sua IES.

Para ajudá-lo a iniciar esse trabalho na sua instituição, listamos a seguir algumas dicas para classificar e categorizar corretamente seu material de forma a otimizar a produção para a EaD. Acompanhe.

  1. Conhecer é o primeiro passo

Para garantir uma boa categorização é preciso conhecer verdadeiramente o processo de produção da sua IES. Isto permitirá definir as categorias mais adequadas às suas necessidades.

  1. Experimentar fará diferença

Antes de partir para o todo, busque categorizar parte da sua produção. Assim, será possível observar, na prática, se as categorias inicialmente definidas suprem as suas necessidades.

  1. Hierarquize para facilitar ainda mais

Além das categorias principais, defina também subcategorias, pois isto ajuda no cruzamento de informações em buscas futuras (por exemplo: LIVROS (tipo de material – categoria principal) => 2017 (ano de produção) => DIREITO (curso) => DIREITO TRABALHISTA (disciplina) => José Antonio (conteudista).

  1. Especificar nunca é demais

Evite definir categorias muito genéricas, que possam incluir, em um mesmo grupo materiais muito diferentes (por exemplo: pdfs).

  1. Avalie a funcionalidade

Antes de categorizar todos os seus materiais, teste se o trabalho realizado atingiu seus objetivos. Peça ajuda de outro profissional da sua equipe, que não esteja envolvido nesse trabalho, para analisar o trabalho já realizado e sugerir ajustes, se necessário.

  1. Aplique o processo

Feitos os ajustes necessários, é hora de aplicar a categorização a todo o processo de produção. Para facilitar, é possível trabalhar em etapas (por exemplo: etapa 1 – materiais; etapa 2 – mídias; etapa 3 – profissionais; etapa 4 – produção).

  1. Compartilhe para que o trabalho seja aplicado

Assegure-se de que todos os envolvidos no processo de produção conheçam e apliquem o trabalho realizado. Isto será útil na hora de criar um repositório com todos os dados produzidos.

Categorização, banco de dados e mecanismos de busca

Uma das grandes vantagens da categorização é permitir maior agilidade no momento de se buscar materiais e/ou profissionais associados à IES. Mas para isso, primeiro é preciso ter um banco de dados que reúna todas as informações cadastradas e que permita a pesquisa. Esta é, justamente, a maior dificuldade encontrada por boa parte das IES. A implantação de bancos de dados costuma envolver custos elevados e boa parte das opções existentes no mercado não contemplam as necessidades específicas da EaD. Outra dificuldade é dar acesso ao banco de dados a todos os envolvidos na produção dos materiais e principalmente conseguir realizar uma busca inteligente.

Uma solução completa para a sua EaD

A Deduca é uma solução desenvolvida sob medida para as necessidades das IES. É uma plataforma inteligente que realiza a gestão de conteúdos e permite a produção interna de materiais didáticos para EaD de forma mais eficiente, com redução de custos e tempo.

Uma das principais funcionalidades da Deduca é a categorização de todos os itens relacionados à produção dos objetos de aprendizagem, entre eles, profissionais, conteúdos, mídias e recursos, facilitando a consulta para a construção de novos materiais didáticos EaD.

A plataforma ainda conta com sistemas de busca e indexação inteligentes, baseados em uma inteligência relacional que é capaz de melhorar e combinar áreas do conhecimento, tornando todo o processo mais personalizado e com o DNA da sua IES.

Quer categorizar seus materiais com agilidade e eficiência? Conheça mais sobre a Deduca e descubra como otimizar sua produção para EaD.

Compartilhe este artigo:

Sobre o Autor

Larissa Kleis

Diretora da Delinea Tecnologia Educacional, especialista em Gestão da Educação Corporativa, tendo atuado como designer educacional e gráfica e como Web tutora de Cursos a distância do curso de Sistemas de Informação da UNIVALI. Como diretora de Produção na Delinea Tecnologia Educacional gerenciou o desenvolvimento de conteúdos didáticos para Educação a distância em parceria com diversas Instituições de Ensino em âmbito nacional como SENAI/SP, ESAB, DEVRY, PUC, entre outros. Ativa participação em pesquisas ligadas à inovação na educação com ênfase na personalização da aprendizagem utilizando as tecnologias educacionais.